08 Jul
Como se governam as cidades? Desafios do desenvolvimento urbano
Lido 2554 vezes | Publicado em Novidades | Última modificação em 16-07-2015 14:16:22
 
Superporto do Açu, em São João da Barra (RJ): implantação do complexo industrial promete dinamizar ainda mais a economia fluminense. Divulgação: Prumo Logística
tamanho do texto reduzir tamanho do texto aumentar tamanho do texto
Qualifique este item
(0 votos)

O projeto "Como se governam as cidades? Quais são os desafios institucionais para o desenvolvimento urbano do estado do Rio de Janeiro?", submetido pelo INCT Observatório das Metrópoles ao edital da Faperj Apoio a Projetos Temáticos - 2015 foi aprovado no final desse último mês de junho. Com uma demanda de 228 propostas que totalizaram R$ 70 milhões, o edital concedeu R$ 33 milhões para financiar as 140 propostas aprovadas. Voltado a incentivar projetos desenvolvidos por um ou mais grupos de pesquisadores de excelência, o edital também visa à obtenção de resultados científicos relevante em áreas temáticas de fronteira e de alto impacto no Estado do Rio de Janeiro.

Desse modo, "Como se governam as cidades? Quais são os desafios institucionais para o desenvolvimento urbano do estado do Rio de Janeiro?", sob a coordenação do professor Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro, além da equipe formada por 8 pesquisadores, estudará o desenvolvimento urbano das cidades a partir da avaliação das fragilidades do sistema federalista brasileiro baseado fundamentalmente pelo governo municipal em razão da sua competência na produção de equipamentos e na provisão de serviços coletivos que incidem no bem-estar urbano.

Marcos Barcellos de Souza, doutor em Desenvolvimento Econômico pela UNICAMP e um dos integrantes da equipe desse projeto, acredita que a pesquisa poderá trazer contribuições mais qualificadas sobre o capitalismo urbano no Brasil por intermédio da teoria dos regimes urbanos:

- Esperamos que ela jogue luz sobre diferentes padrões de governança urbana no estado do Rio de Janeiro, através das particularidades dos estudos de caso selecionados, que abrangem contextos geo-institucionais importantes e distintos. Do ponto de vista dos regimes urbanos, eu acredito que avançaremos bastante nos estudos sobre poder e política local no Brasil, pois esse é um referencial teórico de ampla aceitação na literatura internacional, sendo bastante utilizado em estudos comparativos mas ainda com pouca disseminação nas pesquisas realizadas no país.

Para Nelson Rojas de Carvalho, professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e também integrante do grupo, o projeto traz a marca do ineditismo já que pretende mapear os modos de governança nos municípios, identificando as coalizões de governo em âmbito local:

- Superando orientações simplificadoras de inspiração sociocentrica ou de orientação estadocentrica, a perspectiva por nós adotada, centrada no conceito de regimes urbanos, supõe exatamente a diversidade de padrões de articulação entre estado e mercado, diversidade mediada por variáveis econômicas, culturais e político-institucionais. O objetivo do projeto é exatamente mapear esses distintos padrões de articulação nos municípios fluminenses e verificar em que medida produzem resultados mais ou menos favoráveis ao desenvolvimento urbano - defende.

Para ter acesso ao projeto "Como se governam as cidades? Quais são os desafios institucionais para o desenvolvimento urbano do estado do Rio de Janeiro?" na íntegra, veja em "Baixar anexos".



Etiquetado como:
O laboratório da Coordenação Nacional da Rede INCT Observatório das Metrópoles está temporariamente fechado, por conta do incêndio ocorrido, no começo de outubro, no Prédio da Reitoria da UFRJ.

Pedimos que os contatos sejam realizados pelos seguintes e-mails:

Elizabeth Alves
beth@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos administrativos

Karol de Souza
karol@observatoriodasmetropoles.net

Assessoria de Comunicação

Breno Procópio
comunicacao@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos Acadêmicos

Juciano Rodrigues
juciano@observatoriodasmetropoles.net